domingo, 22 de fevereiro de 2009


“(…) Ia fazer trinta anos em Setembro desse ano, 1937: estava ainda na idade em que o tempo se arrasta, em que aquilo que porventura se espera – às vezes sem se saber o quê – parece nunca mais chegar e nada passa subitamente, nada foge, nada se perde, nada é irrepetível. Só depois, como ela aprenderia, viria a fase em que o tempo desliza e, a seguir, a fase em que o tempo desaparece. Mas, por ora, ainda era a sua juventude que corria atrás de si e não o contrário. (…)”.

Pág. 485

Inicio do Capitulo XVIII

“Há decisões que se tomam e que se lamentam a vida toda e há decisões que se amarga o resto da vida não ter tomado. E há ainda ocasiões em que uma decisão menor, quase banal, acaba por se transformar, por força do destino, numa decisão imensa, que não se buscava mas que vem ter connosco, mudando para sempre os dias que se imaginava ter pela frente. Às vezes, são até estes golpes do destino que se substituem à nossa vontade paralisada, forçando a ruptura que temíamos, quebrando a segurança morta em que habitávamos e abrindo as portas do desconhecido de que fugíamos. (…)”

Pág. 527

“Quem nunca sofreu por amor nunca aprenderá a amar. Amar é o terror de perder o outro, é o medo do silêncio e do quarto deserto, de tudo o que se pensa sem poder falar, do que se murmura a sós sem ter a quem dizer em voz alta. É preciso sentir esse terror para saber o que é amar. E, quando tudo enfim desaba, quando o outro partiu e deixou atrás de si o silêncio e o quarto deserto, por entre os escombros e a humilhação de uma felicidade desfeita, resta o orgulho de saber que se amou. (…)”

Pág. 583

In Rio das Flores
Miguel Sousa Tavares

Terminei de ler ontem este romance, não gostei do fim, mas nem nas histórias que lemos temos esse poder de querer finais felizes.. o final não foi triste, apenas não foi ao encontro do que eu esperava.. mas é bom que assim seja, porque a vida é assim mesmo, nem tudo corre como esperamos, mas do livro de uma maneira geral, posso dizer que gostei bastante.. e assim deixo aqui estes últimos excertos que me “apaixonaram” e que mesmo fora do contexto da história, dizem tanto só por si…

Aguardem-me..

12 comentários:

korrosiva disse...

Não li esse...

beijinhoss e bom domingo :)

AP disse...

Bem, comprei hoje um exemplar do livro que acabaste de ler..
Vamos lá ao desafio..hehehe!!
Um beijinho!

Hugo de Oliveira disse...

Xiiii... ando ao tempo para o ler. Adoro o autor. Agora será a minha próxima leitura!!!

Charmoso disse...

Eu nunca gosto de fins! Bah!

bjs com charme

Renascer disse...

É sempre um prazr ler o que escreves :) ***

Beijoca :)

Renascer disse...

Também te estou a seguir :ppp loooool não te quero a seguir sozinha lol

Beijocas ****

Mary* disse...

Não li mas parece giro.

Bom fim de semana.

Beijinho*

ParvoMasPouco disse...

Já que O Renascer renasceu... Fico emocionado... Quase estarrecido...A Vida é tão bela... Para alguns...Os que não sabem a verdade do que significa renascer ...
Bonito Blogg *(-:

O Profeta disse...

És madeira verde
Ou apenas mulher perdida
Testemunha de berço feito de penas
Arca perdida da dor contida

Tudo isto é universo
Em límpida poça de água
Onde as conchas têm a forma de coração
Onde o sal afasta a mágoa

A ti que és minha amiga especial
convido-te a partilhar comigo o “sítio das conchas azuis”

Bom fim de semana


Beijo azul

Andrea disse...

ando a laurear a pevide pelos blogs..

e aqui* e ali*

Eu disse...

*** um beijo

L. Malloy disse...

Não li, mas adorei os excertos! :)

"Se amanhã eu não estiver cá..."

Um texto de uma mãe para um filho, que todas as pessoas deviam ler! Se amanhã eu não estiver cá… “Há dias em que não me é fácil saber q...