sábado, 24 de maio de 2008

Um susto…


Coisa pequena, mas de facto esta vida “stressante” tem que acalmar… temos que pensar na nossa saúde sempre primeiro…

Pois é, ontem de tarde tive que ir ao hospital… comecei a sentir de manhã uma dor no peito… e ficava com falta de ar… quando vinha do trabalho para casa para almoçar, piorou bastante, tive que vir mais devagar que o costume, porque faltava-me o ar.. e foi isso que mais me assustou..

Entretanto desloquei-me ao Hospital porque de facto a dor não passava.. e devo vos dizer que apesar do mau cenário que “pintam” do atendimento dos hospitais, eu não me posso queixar muito.. pelo contrário..

Fui atendida passado meia hora, mediram-me a tensão, fizeram-me análises e um raio X.. depois fiquei à espera dos resultados.. e nada acusou, ou melhor acusou que estava muito bem de saúde lol…

O médico disse que era ansiedade e cansaço.. que eu tinha que acalmar o ritmo, receitou-me umas vitaminas e fazer desporto para relaxar…

Pois é, ando aí em mãos com trabalho final que me ocupa todo o meu tempo… mas para a semana já acalmo de facto, já está praticamente terminado... entretanto a dor não voltou!

Aguardem-me…

P.S.: Ando de bem com a vida… um beijinhos a todos vocês que aqui passam!

6 comentários:

Anónimo disse...

Inda bem k nao foi nada !! Jinhos

skinworld disse...

vê de descansas, e tens razão a saude primeiro :) beijica quero-te bem.

O Profeta disse...

Uma voz quebra o silêncio
Um espelho retêm a beleza
Vi com os olhos fechados
A fúria da minha incerteza

Fecham-se as janelas de poente
Este nevoeiro galga o pensamento
Uma semente solta num ribeiro
Corre no incerto de cada momento


Deixo-te uma doce acalmia


Mágico beijo

Infans disse...

Algures, num instante passado, alguém me escreveu :

Recortes de palavras dos meus livros predilectos. Colados em saliva pastosa que escorre, lentamente, entre vales carnudos de sangue, sobre terreno liso como seda, branca de pureza sem fim.

E, no interior dos teus olhos, salgada água que, sem querer, escapa explodindo o teu sensível ser. Podias deixar de me amar e de queimar tudo o que te é querido para me lançares sinais de fumo que constantemente ignoro.

Leste em tempos livros predilectos em mim que te feriram e que te amaram. Tens agora de mim leves recordações que pensas amar, memórias de inexistentes momentos, de sonhos que confundes com uma realidade, de uma utopia tão irreal quão afiadas são as lâminas que me cortam.

Corre, cansa-te, esquece….

Beijo do Altheos.

Constança disse...

Ainda bem que foi só um susto!!! Beijos

blue disse...

Uma grande beijoca no coração :)
E menos stress ok?

Beijoca bem grande